Portal: por que sua empresa precisa dele?

Portal: por que sua empresa precisa dele?

Image for Portal: por que sua empresa precisa dele?

Muitas empresas chegam a nós com a demanda de desenvolvimento ou reformulação de seus portais. Durante a conversa, percebemos que esse ainda é um conceito que gera algumas dúvidas. Frequentemente, o modelo de portal é confundido com toda e qualquer página que encontramos na internet, e isso é normal!

Quantas vezes você já ouviu alguém falar sobre o portal de uma empresa e, ao acessá-lo, encontra apenas as áreas “quem somos”, “o que fazermos”e “blog”? Ou já foi convidado ao utilizar um portal para conhecer a oferta de serviço de uma marca e até comprar produtos? E você pode até estar pensando agora: “Mas isso tudo aí não é portal?!”

Então… Vamos parar um pouquinho para conversar sobre isso?

O que é um portal?

A primeira característica que diferencia o portal das outras páginas da internet é que ele conversa com vários públicos (personas), com interesses e necessidades diversas. Aqui, além da amplitude de conteúdo – onde serão inseridas as informações gerais sobre a empresa, como “quem somos” e “o que fazemos” – também temos a profundidade em cada uma dessas sessões. Em vez de explicar o contexto de criação empresa, aqui detalhamos por que seu público deve escolhê-la, quem é a sua equipe, quais os valores da sua marca…

Se sua empresa é de médio ou grande porte é muito possível que ela possua várias personas. Se você precisa se comunicar com cada uma delas, um pensamento primário é que precisaria ter um site para cada uma delas, e é justamente aí que entra o portal. Essa é uma solução harmônica para oferecer informação – ao mesmo tempo ampla e com aprofundamento – para todos os públicos em um só lugar.

Vamos explicar melhor com o exemplo do portal que desenvolvemos para o Goethe-Zentrum Brasília. A escola de alemão, embora tenha primeiramente apenas essa oferta de aulas de língua alemã como serviço, tem várias personas, entre elas, temos: a pessoa que nunca estudou alemão, a que já estudou e quer informações sobre certificações e aquela que está interessada em consumir cultura alemã.

Todas essas pessoas precisam encontrar as informações que desejam no mesmo ambiente, e tudo isso está no portal da instituição de forma pensada e organizada.

Conteúdo e organização

Se o volume de informação que o portal vai oferecer aos usuários é grande, é preciso ter cuidado para que o portal não vire um aglomerado de conteúdos, sem ligação entre si e de difícil acesso. Em um bom portal, o usuário precisa ser levado naturalmente para todas as páginas e sentir que quanto mais ele lê, mais ele aprende sobre a empresa.

Isso é conseguido pela equipe de desenvolvimento através de uma boa estrutura catalográfica (organização do seu conteúdo), que:

Identifica o que é prioritário na oferta de serviço da empresa
A mesma empresa pode ter diversas ofertas de serviço, e você pode querer destacar todas delas, mas isso não pode acontecer. Cada uma vai ter seu espaço no portal, nem maior nem menor do que o seu negócio necessita.

Vamos ver um exemplo disso em outro portal que fizemos. A Clínica Oncotek oferece tratamento oncológico e também uma série de especialidade médicas e de saúde. É preciso dedicar áreas para cada uma delas (lembra que o portal conversa com as diversas personas?), mas a oferta principal e prioridade da clínica ainda é a oncologia. Isso tem que estar visível no portal.

Realiza inventário de conteúdo e possibilidades de estruturação

É aqui que entra o estudo profundo para identificar todo o conteúdo que os diversos serviços podem oferecer ao público. Depois disso, a equipe esgota as possibilidades de acomodação dessas informações e checa a melhor forma antes de partir para o desenvolvimento.

Organiza esse conteúdo em temas e subtemas de forma coordenada

O seu portal vira uma vitrine do seu negócio. O usuário vai sendo levado para um verdadeiro passeio. Ele conhece sua marca, os valores que propaga, como faz isso, os serviços que oferece, recebe informações relevantes…

Se algum desses itens não for seguido ou etapas forem puladas, é muito possível que a todo momento apareça uma área nova para o seu portal e, ao invés de educar seu público, o portal vira uma verdadeira caça às informações.

O que mais você precisa saber

Parece que estamos entendidos sobre o que é um portal, não é? Podemos passar para os detalhes finais.

Quem precisa de um portal precisa de um portal

Se sua empresa tem todas as características que falamos antes (é de médio a grande porte e precisar oferecer conteúdo para personas diferentes) ela só vai conseguir se comunicar bem com seu público através de um portal. Outra solução pode até ser mais simples e até mais econômica, mas não vai gerar o resultado esperado.

Um trabalho elaborado

O portal é um trabalho que leva tempo – em média seis meses. São várias etapas até que esteja “no ar”. E além do conteúdo, arquitetura de informação e design de interface, a etapa de teste com o usuário pode revelar alguns detalhes importantes. Quando o portal está sendo utilizado, podemos entender como os usuários vão responder e fazer correções estruturais antes do lançamento.

Livre-se dos mitos!

Portal é um assunto que gera muito senso comum. E a expectativa sobre os resultados e os riscos que esse investimento trazem acabam atraindo alguns mitos. Mas não se prenda a eles. Uma equipe preparada vai desenvolver seu produto exatamente como ele deve ser, se amparado em dados, planejamento e o, o mais importante, espelhando o seu negócio.

Por isso, é realizado um benchmarking, uma pesquisa feita para mapear outros portais do setor. Esse é um instrumento que usamos para entender como as marcas similares bem sucedidas desenvolveram seus portais e qual estrutura vem funcionando para elas. O benchmarking é um processo de aprendizagem que nos dá um ponto de partida para o seu projeto.

 

Você deve participar ativamente de todas as etapas do desenvolvimento

Nosso interesse é que você saia do projeto entendendo o papel do portal e quais dinâmicas vão gerar resultados em sua instituição. Queremos que você tenha uma visão exigente do que deve ser um bom portal – a gente falou sobre isso nesse outro post aqui, “A Terapia do Contratante”, é com essa postura que será possível participar ativamente de todas as etapas do desenvolvimento.

E por todas as etapas, entenda todas mesmo. É natural (e até óbvio) que você seja a peça fundamental para entendermos o seu serviço ou produto e coletarmos as informações. Mas nós também precisamos ouvir suas sugestões sobre organização de conteúdo e funcionalidades, por exemplo, pois, você é quem conhece sua empresa como ninguém!

Se você precisa de um portal, deve ter notado que são muitos os detalhes. É preciso estar ciente que vai embarcar numa jornada minuciosa e de trabalho muito estruturado. Mas tenha certeza que tudo isso vale (e muito) a pena, pois é o que vai atender aos objetivos da sua instituição de forma eficiente e estratégica.

Tem mais alguma dúvida? Deixe seu comentário aqui embaixo ou entre em contato com a gente.

Newsletter

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.