Visita guiada: um modelo de navegação claro e atraente para quem vai fazer seu 1º site.

Visita guiada: um modelo de navegação claro e atraente para quem vai fazer seu 1º site.

Image for Visita guiada: um modelo de navegação claro e atraente para quem vai fazer seu 1º site.

Muitas empresas e instituições nos procuram com a demanda de fazer seu primeiro site website institucional. Considerando alguma margem de erro, a maior parte das demandas envolvem:

  •  Um site simples, fácil de navegar
  •  Nada muito complicado
  •  Só queria mesmo dizer onde estamos e o que fazemos.
  •  Tenho um modelo de que gostei e queria copiá-lo.

Dentro desse contexto, fica claro para nós que há uma preocupação fundamental do dono do negócio em deixar evidente que ele não quer ser explorado só por precisar de um website.

Além disso, esta conversa inicial geralmente demonstra um baixo entendimento das funções de um website deste tipo, e um consequente medo de investir seu suado dinheiro em uma ferramenta cara, obscura, e que não gere os resultados esperados.

Por esta razão decidimos trazer à luz alguns pontos importantes sobre o processo de se fazer um website. Nosso objetivo é o de munir você de informações que lhe permitam tomar decisões na hora de contratar o serviço de webdesign, que lhe forneçam critérios para participar do projeto de confecção de seu site com segurança, e lhe facilitem a avaliação de resultados com mais segurança e clareza no futuro.

Estamos considerando aqui que você tem um negócio de pequeno/médio porte e necessita representá-lo no mundo online de maneira tangível, atraente e clara, diferenciando sua marca e abrindo um canal de contato com seu público.

Sendo assim, antes de analisar o que faz um website institucional, vamos analisar a demanda “preciso de um site”.

Website = tangibilizar uma experiência

Quando você precisa fazer um website para sua marca (produto, serviço, idéia, posicionamento, etc.) é bem provável que você tenha necessidade de colocar no ambiente online um representante, que comunique diretamente com seu público e facilite a   que sua marca oferece.

Mas para se tangibilizar em ambiente online uma experiência do mundo real, não basta apenas expor seu produto, serviço ou idéia. É importante que o próprio website seja uma experiência, capaz de conter de maneira clara, apelativa e pertinente o discurso de sua marca.

Para faciliar o entendimento deste processo, emprestamos o modelo mental da visita guiada, que tem em seu ambiente online o apelido de tour virtual.

Uma visita guiada sobre o universo de sua marca

Vamos considerar que seu site é um guia (turístico, de museu, corretor de imóveis etc.) e que a missão dele é levar seus clientes a vários lugares dentro do universo de sua marca a fim de que ao final da visita seu público entenda o que você faz, quais as vantagens de seu produto / serviço, onde adquirí-lo, como contratá-lo, etc.

O roteiro da visita de um site institucional

Dessa forma, seu website cumpre a função de oferecer ao visitante um roteiro de visitas (em inglês conhecido como UX Flow). O objetivo deste roteiro é essencialmente levar o visitante por áreas estratégicas do website, adequadas ao perfil da informação que ele procurava, e resultar em uma  conversão (aquisição do produto, engajamento, assinatura de newletter, etc. ).

Para facilitar o entendimento deste roteiro, levantamos alguns dos ítens mais comuns que devem constar na experiência do usuário enquanto visita seu website. Considere primordialmente um site que oferece produtos / serviços, mas este modelo pode facilmente se adequar a ONGs, causas, idéias, e outros tipos de oferta de experiências online.

1. De que se trata?

Parece óbvio, mas nem todas as marcas presentes hoje no mundo online são capazes de explicar claramente o que têm a oferecer. Muitas se perdem em textos longos e confusos, escondidos em páginas com nomenclaturas obscuras como “Conheça” ou “Tudo o que você precisa saber”.

Considere que nosso visitante precisa ser guiado de maneira simples e esquemática, pois com frequência possui um baixo entendimento do que você tem a oferecer, e consequentemente uma alta possibilidade de dispersão (leia-se sair do site, voltar para o facebook, what’s up ou qualquer outro mecanismo mais fácil de entender / usar). Há inclusive um video muito esclarecedor no youtube, chamado “O usuário está bêbado” – The user is Drunk, se você quer saber mais, clique no link e assista o video, são 5 minutos bem úteis.

2. Como me beneficio disso?

Nós aqui preferimos que este item seja comunicado ao visitante antes de qualquer coisa. Dada a massiva oferta de informação em que se vive atualmente, acreditamos que a forma mais consistente de atrair a atenção do público é esclarecer de antemão o que sua marca pode fazer por ele. Entretanto, por uma questão lógica, este item aparece em segundo lugar no roteiro.

Invariavelmente, a sugestão é tentar construir a sua oferta de benefícios de maneira esquemática, enxuta, capaz de ser facilmente identificada e memorizada. Assim você abrevia o esforço do visitante em tentar “captar” o valor de sua marca e garante que ele se lembre no futuro. Outra vantagem é que estes benefícios farão parte de um “sumário mental” que seu público utilizará quando for comentar sobre sua marca a seus pares, caso sua experiência com o produto tenha sido positiva.

Lembre-se sempre de que seus clientes mais fiéis frequentemente consideram seu serviço como parte da identidade deles (pense numa Harley Davidson, ou no seu cabeleireiro favorito.)

3. Como este produto / serviço se enquadra na minha vida?

O próximo passo de nosso roteiro de visitas é demonstrar de maneira objetiva como o seu produto / serviço se encaixa no estilo de vida do visitante.

Para tal, é muito importante ter em mente que os 2 itens anteriores precisam estar absolutamente claros para você, como se fosse um usuário assíduo daquele produto/serviço.

Se não houver uma clareza acerca dos itens anteriores, retorne a eles e faça uma profunda exploração até que esteja tudo absolutamente compreendido.  Considere que se você não consegue visualizar claramente como sua marca opera no dia-a-dia das pessoas, a equipe que desenhará seu website também terá problemas em compreender isso e finalmente o visitante terá dúvidas.

4. Outras pessoas já utilizaram? Como foi a experiência?

Comumente chamado de depoimento, este item do roteiro trata de materializar os benefícios de seus produtos/serviços com histórias reais de usuários que já os experimentaram. Em poucas palavras, é como recorrer a um amigo para que ele lhe aconselhe se você deve ou não adquirir um smartphone da marca tal.

Um depoimento de uma pessoa real agrega confiabilidade à sua marca e pode abreviar o processo de decisão do visitante em favor dela.

5. E se eu tiver dúvidas, onde encontro as respostas?

É frequente também ocorrerem dúvidas sobre diversos assuntos relacionados à sua marca. O ideal é adiantar-se e compilar um rol com as perguntas frequentes e já respondê-las. Isso demonstra em primeiro lugar que você domina o assunto. Em segundo lugar reflete uma cortesia com o seu visitante e por fim poupa o tempo de se responder várias vezes as mesmas perguntas.

6. Gostei do produto, e agora?

Por fim, tenha em mente que ao final de nossa visita guiada esperamos algo de nosso visitante. Qual o nosso objetivo após apresentar nossa marca? Vender um produto? Fechar um contrato? Ou apenas obter uma assinatura de newsletter? Estes objetivos devem estar claros para você desde o dia 01 da produção de seu website, pois serão eles que servirão de índices para medir a performance do website no futuro.  Mais ainda, eles são a razão de ser do website.

Conclusão

E aqui chegamos ao fim do post. Novamente sem a expectativa de esgotar o assunto, esperamos ter conseguido transmitir alguns pontos fundamentais a serem colocados em pauta entre você e a equipe que vai fazer seu primeiro website institucional.

Embora aparente que estes tópicos se referem apenas ao conteúdo, é importante notar que eles podem interferir substancialmente na arquitetura de informação, no design da interface de seu website e até serem assimilados pelas estratégias de venda offline de sua marca.

Dessa forma você garante que seu visitante tenha uma experiência consistente, relevante e apelativa na visita ao seu website, capaz de aumentar o potencial de venda de seus produtos e gerar relações duradouras com sua marc.a

O que você acha?

Nossos artigos têm a intenção de levantar questionamentos e conversações sobre assuntos importantes dentro do universo da comunicação e do design. Sua opinião (a favor ou contra) é muito importante para nós. Deixe abaixo seu comentário e participe da conversa.

Vamos conversar?

Newsletter

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.