O que são micromomentos e como usá-los a favor do marketing da sua empresa | Verlindo

O que são micromomentos e como usá-los a favor do marketing da sua empresa

O que são micromomentos e como usá-los a favor do marketing da sua empresa

Image for O que são micromomentos e como usá-los a favor do marketing da sua empresa

Navegue nos assuntos

O comportamento do consumidor mudou drasticamente com a facilidade do smartphone. Apenas alguns cliques – e segundos – podem fazer a diferença na tomada de decisão. Conheça os micromomentos.

Quem nunca recorreu ao smartphone para pesquisar como se faz uma receita? Ou antes de comprar aquele tênis ou produto de beleza para saber se valia a pena? Segundo uma pesquisa do Google, 80% dos brasileiros fazem isso diariamente.

O que isso quer dizer? Se o grande acesso aos smartphones mudou nossa forma de se comunicar, pedir comida e até se relacionar, ele também mudou nosso comportamento diante de uma compra.

O Google “batizou” essas pequenas buscas pontuais de micromomentos. E se uma marca estiver com estratégias preparadas para cada um deles, ela tem uma grande chance de conquistar o consumidor.

Nesse post vamos falar mais sobre o que são os micromomentos e como o marketing de uma marca pode aproveitá-los para alcançar melhores resultados.

Micromomentos

Os micromomentos são uma pequena etapa (de segundos ou poucos minutos de duração) que vem se tornando cada vez mais frequente na jornada do cliente com a facilidade dos smartphones. Eles aparecem diante uma necessidade clara e instantânea do consumidor, como pesquisar a reputação de uma empresa, a qualidade de um serviço e o comparar o preço de um produto.

Vamos supor que você está prestes a comprar um tapete de yoga em uma loja. Você compra direto ou dá uma olhadinha para saber se é mais barato online? Isso é um micromomento.

Neste vídeo, chefe de operações da Web Profits (consultoria em crescimento digital) fala mais sobre os micromomentos e dá exemplos práticos.

Esses momentos se tornaram peças-chave no marketing porque eles mostram exatamente qual é a intenção de tomada de decisão de um comprador. O Google dividiu esses momentos em 4 tipos.

Eu quero saber

Esses são os momentos em que as pessoas usam o smartphone para aprender mais sobre algo visto TV, um anúncio, uma música, um produto de uma prateleira. E esse “eu quero saber” varia desde a pesquisar a idade do ator da série que você tá vendo até preços de passagens para uma cidade que surgiu numa conversa.

Aqui, não quer dizer que ele vá comprar, algo, mas é um excelente momento para moldar preferências.

Eu quero ir

Nesses casos, o usuário usa o smartphone para buscar um local específico ou alguma empresa que tenha o que ele deseja. Ainda pode ser a ocasião em que a busca acontece para descobrir estabelecimentos próximos de onde ele está.

Um exemplo de busca é: “restaurante asiático em Brasília?” ou, ainda mais específico “onde comprar alimentos orgânicos na Asa Sul?”

Eu quero fazer

É quando o usuário está buscando autonomia. Normalmente é uma busca feita no YouTube para aprender a fazer algo, como consertar algum eletrodoméstico, fazer um penteado ou uma receita. São os famosos “how to” (“como”). “Como fazer uma horta vertical?”, “Como fazer leite de amêndoas?”, “Como trocar lâmpadas fluorescentes?”

Além dos vídeos, os conteúdos consumidos são passo a passo em formato de texto e imagens de cada etapa. Muitas marcas de alimentos costumam até produzir um livro de receitas com seus produtos.

Eu quero comprar

O mais decisivo de todos. Nesse momento, o consumidor está pronto para comprar. Mas antes disso, ele vai querer saber mais informações sobre esse produto ou serviço e até mesmo fazer uma busca para comparar se uma loja próxima tem um preço mais atrativo.

Esta etapa costuma ter buscas mais específicas, como o nome da marca desejada e até modelo do produto. É o caso de quem vai comprar um iPhone, a busca vai direto ao ponto: “iPhone 11 256GB Preto”.

Se uma marca estiver atenta a todos esses tipos de buscas, ela sai na frente na corrida pela formação de preferência do usuário e influencia a compra.

Como usar os micromomentos a favor da sua marca

1) Conheça seu cliente

Essa é a premissa para todo negócio. A marca precisa saber quem é seu cliente. Gênero, faixa etária, classe social, necessidades, preferências… Com isso em mão, fica mais fácil de antecipar quais serão os motivos pelos quais eles vão buscar sua marca ou tipo de produto/serviço que você vende.

2) Preveja os micromomentos

É possível saber os termos de busca utilizados pelos consumidores para determinados temas no Google Search e até mesmo quais deles levam às suas páginas. A partir daí, a missão é descobrir a intenção que está por trás dessa busca: é para se informar, é para ter autonomia na execução de alguma tarefa, é para achar alguma loja próxima ou é para comprar

3) Aja para chegar na frente

Agora, sua marca precisa ser o primeiro no resultado da busca desse consumidor. E isso você pode fazer de algumas maneiras, como:

Conteúdo: invista na criatividade e produza blogposts, vídeos e conteúdo para redes sociais atrativos que satisfaçam a necessidade que levou o usuário a busca.

Pode ser um passo a passo para saber se está na hora de trocar um pneu (quero fazer), um post falando sobre a idade ideal para uma criança começar a estudar inglês (quero saber) ou as oportunidades que você pode aproveitar se falar alemão (quero comprar).

Geolocalização: desenvolva estratégias de publicidade online baseadas em localização. Assim, seu restaurante, por exemplo, aparece no topo para quem estiver nas redondezas.

Marketing de influência: se você precisa mostrar que seu produto é o melhor do mercado, vale recorrer àquela digital influencer com grande reputação em seu nicho. As opções vão desde unboxing até um review do produto em questão.

Resumindo, usar o micromomento para vender é juntar a fome com a vontade de comer.

Newsletter

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.